Vida de Artista #6 *Etta James

8.2.13


Olá pessoal!! Aqui é a Suellen de novo! Tudo bem com vocês?? Como prometido na última sexta, hoje falarei um pouquinho sobre Etta James, muitas vezes conhecida e/ou chamada de a “Matriarca do blues”, “inventora do Girl Power”, a “fera nunca domada”…








Etta James (Jamesetta Hawkins), também conhecida pelo apelido de Miss Peaches, é uma cantora americana de Blues, R&B, Jazz e Gospel. 

Etta James nasceu em Los Angeles, California no dia 25 de Janeiro, 1938. Filha de Dorothy Hawkins, uma afro-americana, mãe solteira aos 16 anos. Nascida de duas raças diferentes, Etta procurou saber quem era seu pai, desconhecido até então. Sua mãe dizia ser Minnesota Fats (George Hegerman), dono de uma casa de bilhar e jogador profissional do mesmo, e do qual ela recebia pensão na condição de manter segredo sobre sua paternidade. 

Ela teve o seu primeiro contacto com a música aos 5 anos de idade, tendo aulas com James Earle Hines, director musical da escola Echoes of Eden da igreja batista de St. Paul, em Los Angeles. 

Sua família mudou-se para São Francisco, Califórnia, em 1950, e em 1952 Etta e mais duas amigas formaram o trio (As Creolettes), o qual viria a chamar a atenção de Johnny Otis. Otis inverteu as sílabas do seu nome para lhe dar uma melhor sonoridade assim surgindo o seu nome artístico. A partir daí Otis investiu na garota começando a gravar os seus primeiros temas. 

Sua primeira gravação, e seu primeiro êxito R&B, foi de sua própria autoria, "The Wallflower (Dance with Me, Henry)", uma música-resposta para a música de Hank Ballard, "Work with Me, Annie". Em 1954, Etta gravou juntamente com a banda de Otis e com Richard Berry, o qual cantava a segunda voz. A canção não estava totalmente boa, e foi re-escrita por Georgia Gibbs, ganhando o título de "Dance with Me, Henry". Também gravou momentaneamente o Etta James & the Peaches, com diversos hits e foi contratada mais tarde pela Chess Records em 1960. Saiu em turnê com Johnny "Guitar" Watson juntamente com Otis nos anos '50 e foi citada por Watson como a penúltima influência em seu estilo. 

Ela lançou vários duetos com Harvey Fuqua (de The Moonglows), do qual surgiu o seu maior sucesso já gravado, a belissima e clássica "At Last". A canção, que apareceu juntamente com outros êxitos como "All I Could Do Was Cry" e "Trust in Me", foi incluída no seu álbum de estreia, "At Last". Essa mesma canção anos mais tarde seria interpretada por diversos cantores como Stevie Wonder, Celine Dion, Christina Aguilera, Beyoncé entre outros.

;


Seu sucesso, entretanto, caminhou lado a lado com seus demônios pessoais. Seu vício em drogas e álcool, que começou em 1960, durou muitos anos e a levou a uma existência angustiante, destruindo sua habilidade de cantar e quase acabando com sua carreira. Posteriormente ela teve problemas com a obesidade (chegando a ter quase 200kg), que levaram-na a fazer uma cirurgia gástrica em 2003, fazendo-a perder quase 100kg. 
Etta James entrou para o Hall da fama do rock em 1993, ganhou um Grammy em 2003 na categoria melhor álbum contemporâneo de blues por “Let’s roll”, um em 2004 por melhor álbum tradicional de blues por “Blues to the bone” e, por fim, um com melhor performance vocal de jazz por “Mystery lady: songs of Billie Holiday”, de 1994. Também em 2003, levou um Grammy pelo conjunto da obra e uma estrela na calçada da fama de Hollywood.

Etta James faleceu no dia 20/Janeiro/2011 aos 73 anos de idade. Ela sofria de leucemia terminal, demência e hepatite C e estava ao lado de seu marido Artis Mills e de seus filhos quando morreu.

Em 2008 foi lançado o filme Cadillac Records, Este filme recria os anos 50 na gravadora Cadillac Records. Baseada na cidade de Chicago teve em seu catálogo lendas da música norte-americana, como Muddy Waters, Leonard Chess, Little Walter, Howlin' Wolf, Etta James e Chuck Berry. O filme acompanha suas conturbadas passagens pela gravadora. No filme Etta James foi interpretada por Beyoncé.

Para mim, o falecimento de Etta em 2011, foi uma dor muito grande, pois assim como Piáf, Etta cantou muito meu sofrimento e minhas dores por amores mal resolvidos. Nossa como eu chorei ouvindo "All I could do was cry". Para mim ela sempre será a rainha do Blues e uma das vozes mais poderosas do mundo. Sobre o filme Cadillac Records, mostra um pouco do drama de Etta e sua família. Não sou muito fã da Beyoncé como atriz, e ainda acho que poderia ter sido outra a escolhida para o papel, mas o filme é bem legal, vale muito a pena assistir, ainda mais se você curtir jazz, R&B, soul e blues.

Bom pessoal, semana que vem tem mais e eu falarei de Diana Ross. Até breve!


LEIA TAMBÉM

1 comentários

  1. Vinícius11/2/13 14:25

    Outra música que todo mundo já ouviu sem saber de quem era, principalmente fazendo parte de filme romântico.Legal.

    ResponderExcluir

>> Bem Vindos! Obrigada Pela Visita! Deixe Seu Recado Que Com Certeza É Muito Importante Para Mim! Volte Sempre!